o dia que deixei de ser vegetariana
Ser Vegetariano

Porque deixei de ser vegetariana

Em maio do ano eu decidi me tornar vegetariana. Cheguei até a contar aqui no blog a minha opção, de como eu estava feliz e tudo mais e que tirar a carne da minha vida estava me  fazendo muitobem. Maaaaaas… (parece que tudo na vida tem um mas) acabei mudando de ideia.

Porque mudei de ideia?

Ok! Um dos motivos dessa decisão era saúde. Ano passado descobri que, não tenho uma das tais enzimas para a digestão de carne vermelha e, era isso que me fazia passar mal sempre comia, fosse um hamburgão, ou um filé. Só que eu decidi ser radical e tirar a carne branca e os frutos do mar.

Com o passar dos meses esse ato radical foi indo totalmente contra o que eu estava tentando mudar na minha vida, que é ter uma rotina mais leve, menos encanada e ansiosa. O que acontecia? Eu ia comer fora, ou com amigos e aí começava uma caçada por opções sem carne, ou aquela desmembração (se posso chamar assim) de comida.

Tipo: Se eu fosse comer um lanche pós balada, ia no carro do hot dog e pedida tudo, só que sem salsicha. Na hora de pagar, eu recebia meu troco e de brinde, um olhar julgador do mocinho do carro.

O que me fez mudar?

O auge da ideia de deixar o vegetarianismo aconteceu em um dia, que eu fui almoçar com minha mãe em uma famosa padaria de SP ( que não vou citar o nome pois é o PIOR local para quem é vegetarianos, pois não há opções de pratos) e eu, com fome, tive que criar um lanche esquisitíssimo para poder comer algo. Ou seja, montei um Frankenstein bizarro de queijo+ pão + outro queijo + requeijão + gordura trans + carboidrato que, quando chegou me mostrou que aquilo era totalmente oposto ao que eu pregava e desejava, que era ter uma vida saudável sendo vegetariana.

O que eu tinha deixado há muito tempo, porque, de novo eu estava de pizza em pizza, de pão em pão e de queijo em queijo pra conseguir me alimentar, principalmente fora de casa.

Mas e agora?

Depois desse dia, passei umas duas semanas refletindo. Óbvio que eu penso nos bichinhos, todos os dias. E sou eternamente grata pelo quase um ano que fiquei sem comer carne, pois conheci diversos alimentos deliciosos que nunca comeria se não tivesse passado por esse momento.

Fora os temperos que aprendi a usar e, agora, me ajudam a diminuir a quantidade de sal da minha alimentação.

O que descobri com tudo isso e tirei de lição é: como a vida, não leve sua alimentação tão a sério demais, de uma forma tão dura. Seja leve em todas as áreas da sua vida. Tem o dia da quinoa com legumes e do hambúrguer com batata frita.  Tudo com moderação, tudo com alegria e tudo com amor.

E assim a vida vai caminhando…

alimentação saudavel

 

Leia Também

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *